Capital Intelectual – O grande desafio das organizações

O título deste post é o título do livro de José Renato Santiago Sátiro Júnior sobre mensuração do capital intelectual e do retorno das iniciativas de gestão do conhecimento. Eu já havia folheado a tese de doutorado do José Renato e decidi comprar o livro – há seis meses – que consegui ler agora.

Este é um livro que você deve ter em sua estante. Se há algo em que não pretendo investir meu tempo é na compilação de modelos para mensuração do valor do capital intelectual. José Renato já fez esse excelente trabalho por todos nós.

No capítulo 5 há modelos financeiros em abundância. No capítulo 6 estão os modelos especializados em capital intelectual. No capítulo 7 José Renato ministra uma aula sobre a forma correta de se definir indicadores e realizar medições.

Depois de conhecer tantos modelos desenhados por tantas celebridades diferentes ao longo de tantos anos, é inevitável se perguntar: “mas qual modelo devo utilizar?” A resposta, eu diria, é: estude todos e faça o seu. Ou melhor, se tiver sorte: estude todos e encontre um modelo que tenha representatividade (ou seja, adoção ampla) em seu segmento de mercado (nacional ou internacional) e avalie sua possível adoção. Adotar um modelo que é utilizado em outras organizações similares lhe proporcionará a possibilidade do aprendizado pela comparação de resultados. É o que ocorre, por exemplo, com a adoção do Modelo de Excelência em Gestão (MEG) da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).

Continuando a leitura você encontrará no capítulo 8 um estudo de caso do autor contendo um roteiro para implementação da gestão do conhecimento e – é claro – para definição de indicadores e formas de mensuração.

O restante do livro – os capítulos 9 a 13 – apresentam em detalhes os resultados da pesquisa realizada pelo autor com mais de 100 empresas brasileiras a respeito dos resultados esperados e obtidos na implementação de práticas de gestão do conhecimento e do capital intelectual.

É um grande volume de dados que o levará a se perguntar “como utilizar esses dados?”

Minha sugestão: faça sua lição de casa (descubra o que é a gestão do conhecimento para sua organização, quais são os ativos intangíveis importantes, qual será sua estratégia e quais serão suas métricas) e então compare suas definições com os dados reveladores dessas mais de 100 empresas que responderam à pesquisa.

Ah, um lembrete importante: esse não é um livro sobre teorias de gestão do conhecimento e do capital intelectual. Mais uma vez, faça sua lição de casa antecipada: conheça Nonaka, Davenport, Senge, Stewart, Edvinsson e outros através da bibliografia já consagrada.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s